Como tratar a Retenção Urinária? 5 tipos de tratamento para o alívio dos sintomas

Sofrer de Retenção Urinária, apercebendo-se que tem dificuldade em esvaziar a bexiga na totalidade ou que é incapaz de urinar de todo, pode originar episódios dolorosos e inconvenientes, que decerto deseja evitar caso padeça deste problema.

Além do mais, quando deixada sem tratamento, a Retenção Urinária pode evoluir para quadros mais graves, lesionando outros órgãos, como os rins.

É por isto que é fundamental encontrar formas de tratamento eficazes. Neste artigo, vamos explorar cada uma delas e explicar em que casos podem ser úteis.

 

Como funciona o Tratamento para a Retenção Urinária?

A Retenção Urinária caracteriza-se pela permanência de urina na bexiga após a micção.

Sabendo dos efeitos que os episódios desta condição podem causar no bem-estar e do risco de complicações – e também do quanto é frequente, em especial nos homens - é fundamental pedir ajuda assim que começar a notar sinais típicos de Retenção Urinária, mesmo que esporádicos, como por exemplo:

  • Sensação de não esvaziamento da bexiga após a micção;
  • Fluxo urinário fraco ou intermitente;
  • Expulsão de pouca quantidade de urina aquando da micção;
  • Dificuldade em começar a urinar.

Nestes casos, é provável que estejamos perante um caso de Retenção urinária crónica, que se desenvolve ao longo do tempo e se manifesta em alguns episódios de intervalos variáveis.

Além desta forma de manifestação, é também possível que estes episódios ocorram de forma repentina e intensa – é a chamada Retenção urinária aguda.

Ambos os casos exigem intervenção, embora as situações agudas, por provocarem dores intensas e por poderem representar risco de vida e de danos permanentes nos rins ou bexiga, tornem a necessidade de ajuda mais urgente, sendo necessário aliviar de forma rápida o grande aumento de pressão na bexiga causado pelo elevado volume de urina. Quando a retenção é crónica, os métodos de tratamento são mais variados.

Assim, a natureza aguda ou crónica do problema é um dos factores que pode influenciar o tratamento. Mas existem mais factores decisivos.

Na verdade, a Retenção Urinária é uma condição e não uma doença, e poder surgir associada a diversas patologias. Desta forma, o tratamento incide na sua causa.

 

Quais as causas do problema que influenciam o Tratamento?

Uma das causas mais comuns da Retenção Urinária é a obstrução do trato urinário, em especial devido a Hiperplasia Benigna da Próstata, que corresponde a mais de 50% dos casos.

Instituto Da Prostata Hbp

Nos homens, também os tumores prostáticos ou a presença de tecido cicatricial na uretra, com estenose/aperto da uretra) podem levar a esta obstrução. Já nas mulheres, pode ocorrer por deslocação dos órgãos pélvicos, numa condição chamada Prolapsos dos Órgãos Pélvicos.

Mas existem outras causas para a Retenção Urinária que, seja de que forma for, impedem a normal expulsão da urina. Veja mais exemplos:

  • Certos medicamentos: descongestionantes, anticolinérgicos, anti-inflamatórios não esteroides, entre outros;
  • Infecções e inflamações do trato urinário: por exemplo, prostatite, nos homens, ou vulvovaginite, nas mulheres;
  • Enfraquecimento dos músculos da bexiga: por envelhecimento, realização de partos vaginais, entre outras razões;
  • Problemas neurológicos: são exemplos Parkinson, espinha bífida ou esclerose múltipla.
     

Que tipos de Tratamentos existem para a Retenção Urinária?

Que Tipos De Tratamentos Existem Para A Retencao Urinaria Instituto Da Prostata

1. Cateterização

Este procedimento médico diz respeito à inserção de um tubo fino e flexível - catéter conhecido como algália - no interior do corpo, até à bexiga para drenar a urina.

Esta é uma solução necessária nos casos de Retenção aguda, em que é preciso esvaziar a bexiga de forma imediata. Nestas situações únicas, o catéter pode ser colocado através da uretra (via trans-uretral) ou por via suprapúbica, através da pele, o que exige uma intervenção mais complexa, sendo usada quando o método pela uretra é contra-indicado ou mal sucedido.

Por outro lado, também pode ser usada em casos crónicos, quando é impossível agir sobre a causa da condição, como acontece com os problemas neurológicos incuráveis. A mesma coisa acontece na impossibilidade de parar medicação que pode estar a provocar a Retenção.

Nestes casos em que a necessidade de cateterização se prolonga, é possível manter o dispositivo de forma permanente ou intermitente, sendo retirado e reposto quando necessário. Esta última opção é a mais recomendada, para evitar quadros infecciosos, apesar de exigir um adequado ensino e instrução do paciente, em relação à forma como deve proceder.

Cateterizacao Instituto Da Prostata

 

2. Medicação

Quando a dificuldade de esvaziar a bexiga resulta de um aumento da próstata, a estratégia para acabar com a Retenção Urinária pode ser farmacológica, recorrendo a medicamentos dos seguintes grupos:

  • Inibidores da 5-alfa redutase (como a finasteride ou dutasteride): permitem reduzir o tamanho da próstata ou, pelo menos, impedir o seu crescimento, melhorando a passagem de urina até ao exterior;
  • Alfa-bloqueantes (como tansulosina,  silodosina, alfuzosina ou doxazosina - os mais antigos fármacos deste grupo, prazosina e terazosina, praticamente não se usam actualmente): promovem o relaxamento dos músculos da próstata e da bexiga, facilitando a micção.

Se os efeitos forem insuficientes, é possível combinar um medicamento de cada um dos grupos.

Também é viável utilizar o tratamento medicamentoso nos casos de Retenção por processos infecciosos, neste caso com antibióticos.

 

3. Técnicas de Fisioterapia

Já vimos que a Retenção pode advir da incapacidade de contracção e descontracção adequada dos músculos da bexiga.

Nesse caso, algumas sessões de fisioterapia, incidentes nos grupos musculares pélvicos, podem ser eficazes, recuperando a tonicidade dos mesmos. Isto permite expulsar de forma adequada a urina, evitando a sua retenção e controlando melhor os sintomas.

As técnicas de biofeedback, electrostimulação e ou de estimulação de nervos periféricos podem ser uma ajuda muito importante em algumas destas situações.
Existem ainda exercícios específicos – conhecidos como Exercícios de Kegel – que podem ser executados em casa, contraindo e descontraindo os músculos pélvicos.

Fortalecimento Dos Musculos Pelvicos Com Fisioterapia

 

4. Procedimentos minimamente invasivos

Também para problemas decorrentes do aumento da próstata, é possível recorrer a medidas que, por serem minimamente invasivas, permitem uma rápida recuperação e acarretam poucos efeitos secundários. Para tratar esta hiperplasia, podem ser usadas as seguintes opções:

  • Terapia Laser (HoLEP ou HOLAP, utilizando laser de Holmium:YAG, laser de Thulium ou Greenlight): permite destruir e retirar o tecido obstrutivo através de fontes de energia transmitidas pela uretra;
  • Rezum: também através da uretra, utiliza energia térmica na forma de vapor de água para destruir o tecido responsável pelo aumento de volume;
  • Urolift: usa implantes, colocados por via endoscópica, que servem para “levantar” a próstata, para que a urina flua de forma normal pela uretra. Não utilizado no nosso país, por menor eficácia e ainda não estar validado.

As medidas minimamente invasivas podem ser ainda úteis para outras causas da Retenção, como a obstrução por estenoses da uretra (presença de tecido cicatricial, fibrótico, na uretra). Nestes casos, num processo conhecido como uretrotomia interna, efetua-se um “corte” destas zonas de fibrose uretral. Em alguns casos, pode utilizar-se a chamada Dilatação Uretral, em que são inseridos instrumentos (“dilatadores”)neste canal, cada vez mais largos, alargando-o. É cada vez menos utilizada. Pode ainda ser utilizado um balão de dilatação da uretra. Este sistema já foi usado no passado e depois abandonado, mas estudos mais recentes, com novos dispositivos, sugerem tratar-se de mais uma possibilidade de tratamento.

Outra alternativa para estes quadros diz respeito à colocação de stents uretrais que, inseridos na uretra, expandem e provocam o mesmo efeito. São também raramente utilizados.
 

5. Métodos cirúrgicos

De forma a reduzir os sintomas de Retenção Urinária, é possível usar técnicas cirúrgicas, de modo geral, mais invasivas que as anteriores. Podem ser utilizadas mediante preferência do paciente e indicação do médico, ou caso as técnicas minimamente invasivas não sejam eficazes o suficiente.

Estes métodos cirúrgicos podem ser realizados em vários locais do corpo, dependendo da causa da Retenção. 

Instituto Da Prostata Metodos Cirurgicos

Próstata

Se a próstata aumentar de tamanho e provocar Retenção de urina, é possível remover o tecido em excesso através de técnicas conhecidas como:

A técnica Laparoscópica e a Aberta clássica podem também sofrer variações para tratar casos de tumores prostáticos que causem sintomas de Retenção.

 

Uretra

Quando a uretra bloqueia a passagem de urina, retendo-a na bexiga, é possível recorrer a métodos cirúrgicos como a Uretrotomia Interna, já referida acima. Por via trans-uretral, e com o auxílio de uma pequena câmara, insere-se um equipamento especial (uretrótomo) até ao local onde se localiza o bloqueio.

Depois, usando uma lâmina própria ou um laser, realiza-se uma incisão, responsável por alargar o canal e recuperar o normal fluxo de urina.

Em algumas situações, é necessário realizar uma cirurgia “aberta”, conhecida como uretroplastia, para resolver em definitivo o problema da estenose/aperto da uretra. Existem diversas técnicas englobadas nesta designação geral, de “plastia” da uretra.

 

Estruturas pélvicas

Sabendo que a Retenção de urina na bexiga pode ser causada pela perda de força e capacidade de sustentação das estruturas pélvicas, como músculos, tendões, fáscias, ligamentos, etc.,  provocando a descida e “Prolapso” dos órgãos e dessas estruturas pélvicas, podem ser usados procedimentos cirúrgicos para reverter a situação em casos mais graves, recuperando a capacidade miccional normal.

Uma das medidas é realizar cirurgias reconstrutivas para voltar a erguer estes órgãos até aos seus locais naturais, seja através do compartimento anterior, médio ou posterior, dependendo do órgão que sofreu o prolapso (bexiga, útero/cúpula ou recto, respectivamente).

 

Outros locais

Outro tipo de métodos cirúrgicos, mais ou menos convencionais, podem ser utilizados para remover problemas do aparelho urinário que causem a Retenção, como tumores ou cálculos, presentes em locais diferentes dos anteriores, como na bexiga.

 

Aliviar a Retenção de urina na bexiga sem intervenções médicas

Existe uma série de medidas, conhecidas como medidas comportamentais, que podem ser recomendadas para aliviar os sintomas da Retenção Urinária. As mesmas recomendações podem ser seguidas como forma de prevenção de algumas situações clínicas causadoras do problema.

Seguem alguns exemplos destas medidas:

  • Urinar logo que sentir vontade, sem tentar reter a urina e evitar a dilatação da bexiga;
  • Tentar relaxar os músculos aquando da micção, facilitando a expulsão de urina;
  • Programar horários para urinar, com intervalos de algumas horas, para evitar o enchimento exagerado da bexiga;
  • Voltar a urinar depois da micção, esperando um pouco a uretra, entre as tentativas, para garantir que esvazia a bexiga;
  • Praticar um estilo de vida saudável, com alimentação equilibrada e exercício físico frequente, beneficiando a saúde em geral e precavendo patologias.

Atenção: é verdade que estas práticas podem ser realizadas de forma autónoma, mas isso não significa que dispensem aconselhamento médico. Deve discutir com um profissional as medidas mais eficazes para o seu caso, sendo que podem até ser executadas em combinação com alguns dos tratamentos anteriores, potenciando os resultados.


Encontre profissionais de confiança para resolver os problemas de Retenção Urinária

É possível acabar com os problemas de Retenção Urinária e com isso eliminar constrangimentos e efeitos indesejáveis na sua qualidade de vida. Sabendo agora que o tratamento depende da causa do problema, é fundamental procurar ajuda médica para realizar um diagnóstico rigoroso e fiável.

Só assim poderá ter um tratamento personalizado, adequado ao seu quadro clínico.

Os profissionais do Instituto da Próstata têm os conhecimentos e meios de avaliação criteriosos para adequar a estratégia terapêutica ao tipo de condição. Marque uma consulta para tratar a Retenção Urinária e deixe de viver com dificuldades miccionais.

Marque uma consulta

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Pedido de Marcação de Consulta