Tenho Cancro da Próstata… e depois?

Receber um diagnóstico de Cancro da Próstata é o início de uma jornada que pode revelar-se difícil, repleta de inseguranças, receios e dúvidas.

Saber mais sobre o Cancro da Próstata é crucial para facilitar o processo de tratamento, tornando-o mais seguro e consciente, até ao objectivo principal: a eliminação da massa tumoral e a consequente cura do cancro.

Para lhe fornecer toda a ajuda que precisa, hoje reunimos algumas das informações mais importantes sobre esta patologia - o que é, sintomas, factores de risco, exames de diagnóstico, tratamento e prevenção -, partilhadas pelo Dr. José Santos Dias na iniciativa da SIC Notícias “Check-Up Seguro”.
 

O que é o Cancro da Próstata e qual a sua prevalência?

O Cancro da Próstata é o tumor mais frequente no homem dos países ocidentais. É, de facto, um tumor com elevada prevalência e pensa-se que alguns factores de risco dos homens destes países provocam este problema.

Em Portugal são habitualmente diagnosticados por volta de 6500 novos casos deste cancro por ano – o que significa que existem cerca de 17 novos doentes por dia com este tipo de doença.

Felizmente, este não é dos tumores mais agressivos. Ou seja: nem todos os doentes com Cancro da Próstata acabam por falecer deste tumor. A taxa de mortalidade aponta para uma média de 1800/1900 falecimentos por ano, isto é, cerca de 5 homens por dia morrem por esta causa, em Portugal.

Portanto: apesar de frequente, não é o cancro mais mortal.
Mas o que é realmente o Cancro da Próstata? Simplificando, é um tumor maligno que se forma neste órgão.
 

Que sintomas provoca?

Um dos problemas desta doença é o facto de não ter manifestações, isto é, não há sintomas específicos que levem o doente ao médico. É, tal como se diz noutros casos, um tumor assintomático e silencioso.

As queixas que os homens referem causadas pela próstata são, na maior parte dos casos, causadas pelo aumento benigno da próstata. A explicação prende-se com o facto de o tumor ser mais periférico, ou seja, não é um tumor muito central no órgão.

Instituto Da Prostata Sintomas Cancro Da Prostata

Assim sendo, o aumento benigno, e não o tumor, comprime a uretra, que atravessa a próstata e está numa posição mais ou menos central, originando as queixas.

A elevada prevalência faz com que tenhamos de estar alerta para esta doença, porque se intervirmos precocemente, podemos interferir na sua evolução e, na maior parte dos casos, é possível eliminar o problema e curar o Cancro da Próstata. Daí ser tão importante a prevenção, o rastreio e a avaliação precoce destes doentes.
 

Quais os Factores que aumentam o risco de Cancro da Próstata?

Os factores de risco para o Cancro da Próstata não são, alguns deles, modificáveis – nomeadamente a idade, a história familiar e a etnia.

No entanto, ainda que haja factores genéticos, há outros que são modificáveis - os chamados factores do ambiente.

É curioso verificar que quando os homens de países da Ásia ou de África, por exemplo, que têm menos frequentemente tumores da próstata, emigram para os EUA e a sua vida, dieta e estilo de vida se modificam em função de hábitos deste país, o risco do Cancro da Próstata aumenta.
 

Como descobrir um Tumor Maligno na Próstata?

É muito importante destacar o rastreio e, mais uma vez, o diagnóstico precoce. Mas em que consiste esta avaliação? Há dois pilares de diagnóstico desta patologia: o PSA e o Toque Rectal.

Vamos conhecer cada um deles.

Exs Dois Exames Principais De Diagnostico Do Cancro Da Prostata Instituto Da Prostata

Quanto à Análise ao PSA (Antigénio Específico da Próstata)

O PSA é uma análise de sangue muito simples, semelhante às do açúcar, colesterol ou do ácido úrico, por exemplo.

Assim, é muito fácil de realizar mas, ainda assim, fornece informação muito importante. Se o nível de PSA estiver alto - ou demasiado alto para a idade ou para a dimensão da próstata – permite-nos pôr logo na pista e na suspeita de um tumor. 

Isto desencadeia a sequência de acções que levam, eventualmente, ao diagnóstico do Cancro da Próstata ou, espera-se, à não confirmação do mesmo.
 

Relativamente ao Toque Rectal

O Toque Rectal é muito falado e conhecido. Há doentes que têm medo de fazer este exame, mas saiba que é bem tolerado, não doloroso, que se faz em cerca de 20-30 segundos e que, principalmente, que nos dá informação muito útil, complementar ao PSA.  Como?

Imaginemos as seguintes hipóteses: o PSA dá uma informação e, se os níveis estiverem altos, é um sinal de alerta. No entanto, o Toque Rectal pode demonstrar alguma alteração mesmo em pessoas com um PSA completamente normal.

Posteriormente, caso seja preciso e se houver alguma suspeita nestes dois estudos, pode ser necessário fazer ecografias, ressonâncias ou outros exames para confirmar, eventualmente, este diagnóstico.

Mas saiba que é essencial termos esta noção: é muito simples, com recurso a uma análise ao sangue ou a um Toque Rectal, despistar ou excluir um tumor na próstata, em grande parte dos casos.

Por isso, é essencial ver o seu Médico de Família ou Urologista para avaliar e fazer pelo menos estes dois exames a partir dos 50 anos, e depois anualmente, ou, se houver histórico familiar de risco aumentado de doença, a partir dos 45 anos.
 

Opções de Tratamento para um Cancro na Próstata

Como já vimos, os factores de risco para este tumor não são, grande parte deles, modificáveis. Daí ser tão importante o diagnóstico e a orientação precoces para a resolução do problema.

Felizmente, se este tumor for diagnosticado em fases iniciais, pode ser tratado de diversas formas – há tratamentos cirúrgicos e não cirúrgicos que permitem, na maior parte dos casos, erradicar o problema, tratando e eliminando a doença.

É possível operar, removendo a próstata, ou realizar tratamentos como a Braquiterapia, ou a Radioterapia,  que permitem destruir eficazmente o tumor.

Assim sendo, não há que ter medo de procurar ajuda junto do seu Urologista ou do seu Médico de Família para fazer os exames que, como vimos, são necessários para o diagnóstico. 

Desta forma, é possível, numa fase o mais precoce possível, avaliar e fazer o enquadramento geral – isto é, perceber se o tumor está localizado ou não - e eliminar o problema.
 

Será que é possível prevenir o aparecimento de um Tumor Prostático?

Não existe uma forma muito eficaz de prevenção. Mas deve procurar manter a higiene corporal e fazer exercício físico. Porquê? Tudo o que promove o bem-estar e a qualidade geral do organismo é bom para prevenir, regra geral, os tumores.

Especificamente para o tumor da próstata, estas recomendações também se aplicam: o exercício físico, o combate ao sedentarismo, uma dieta adequada com restrição de elevadas quantidades de gordura e evitar muitas proteínas são regras gerais de bem-estar e que são recomendadas para muitas outras situações, sendo também muito importantes para o Cancro da Próstata.

Outras formas de tratamento ou de prevenção como produtos medicamentosos ou suplementos não estão indicados, embora existam alguns medicamentos que reduzem ligeiramente o risco do tumor da próstata. Contudo, não está recomendado tomá-los cronicamente e a longo prazo.

Por exemplo, o licopeno que existe no tomate, sobretudo no tomate cozinhado, é uma substância cujo consumo diminui ligeiramente esse risco, embora não seja possível afirmar que vai eliminar, de forma segura, a possibilidade de Cancro da Próstata.

O conselho é que a partir dos 50 anos seja visto pelo seu médico de Medicina Geral e Familiar ou pelo seu Urologista para diagnosticar o mais precocemente possível este tumor com as ferramentas e exames que vimos anteriormente.

Se procura um local de confiança, que detém todos os meios necessários para esta avaliação, deve conhecer o Instituto da Próstata. A equipa experiente conseguirá fornecer-lhe um acompanhamento personalizado, próximo e atento, além de lhe recomendar o plano de tratamento adequado ao seu caso específico.

Desta forma, com profissionais de confiança, estará mais perto de deixar para trás o Cancro da Próstata e recuperar a qualidade de vida perdida.

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Pedido de Marcação de Consulta