Seguimento (“Follow-up”) e Vigilância dos doentes com Cancro da Próstata

O seguimento dos doentes com cancro da próstata é realizado, tipicamente, de 3 em 3 meses durante o primeiro ano, isto depois da habitual primeira consulta após a cirurgia, braquiterapia, final da radioterapia ou início da terapêutica hormonal, que é geralmente efectuada no primeiro mês após o tratamento. A partir do segundo ano, se a situação clínica o permitir, o prazo das consultas pode ser alargado para de 6/6 meses, até ao quinto ano. Daí em diante (a partir do 5º ano, portanto) os doentes deverão ser avaliados, no mínimo e se a situação estiver estável, uma vez por ano. Exceptuam-se os doentes com uma situação clínica não totalmente estabilizada e aqueles que estão a realizar terapêutica hormonal, que deverão ser avaliados, pelo menos, uma vez a cada 6 meses.

O follow-up/seguimento é realizado com doseamento do PSA e toque rectal. Outros exames poderão estar indicados, de uma forma individualizada, em função dos achados ou das particularidades de cada doente, detectadas pelo médico Urologista.

O elemento fundamental para o follow-up é o PSA. Após uma prostatectomia radical deverá descer para valores < 0,1 ng/ml; após radioterapia ou sob hormonoterapia, os valores de PSA devem descer para níveis < 0,2 a 0,5 ng/ml.

Níveis crescentes de PSA (geralmente consideram-se 3 subidas consecutivas de PSA) podem indicar recidiva bioquímica, com possível recorrência da doença.

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Artigos Relacionados

Dr. José Santos Dias no XVI Simpósio da Associação Portuguesa de Urologia

O Dr. José Santos Dias, Director Clínico do Instituto da Próstata, foi um dos oradores do XVI Simpósio da Associação Portuguesa de Urologia (APU), que decorreu no dia 10 de Outubro de 2020, em Lisboa, Porto e Coimbra. Este evento, com...

Cancro da Próstata: Braquiterapia é das técnicas com menos efeitos colaterais

A possibilidade de surgirem efeitos colaterais é uma das preocupações mais recorrentes quanto aos tratamentos do cancro prostático. O cenário ideal é eliminar o tumor e melhorar a qualidade de vida dos pacientes, não tendo de lidar com...

Os Tratamentos mais eficazes para homens com Próstata Aumentada

As opções terapêuticas para a próstata aumentada, ou Hiperplasia Benigna da Próstata, são uma forma de acabar com a sintomatologia típica e incomodativa. Hoje em dia existe uma vasta gama de opções para o tratamento deste...

Pedido de Marcação de Consulta