Qual é o valor normal do PSA da Próstata?

O exame do PSA é um procedimento que mede os níveis desta glicoproteína, produzida pela próstata, no sangue, a fim de averiguar se existem anomalias nos valores que possam indicar problemas de saúde. 

Apesar de útil e importante, é preciso entender as suas vantagens e limitações, para que os dados que disponibiliza sejam analisados e utilizados de forma a beneficiar o diagnóstico e tratamento do paciente.

Por isso, hoje vamos responder a algumas das questões mais frequentes relacionadas com este procedimento.

 

1. O que é um nível elevado de PSA para a Próstata?

De forma geral, uma próstata saudável e sem qualquer anomalia liberta quantidades relativamente baixas de PSA.

Por isso, quando o nível é elevado significa que as células estão a libertar uma maior quantidade desta substância, podendo indicar a presença de um problema.

 

2. O que é um nível de PSA normal para a idade?

Ainda que não exista propriamente um valor considerado normal, existem alguns níveis de referência, medidos em nanogramas por mililitro (ng/mL), e agrupados por idades. São eles:

  • Até aos 50 anos: até 2,5 ng/ml
  • Entre os 50 e os 60 anos: até 3,5 ng/ml
  • Entre os 60 e os 70 anos: até 4,5 ng/ml
  • Acima de 70 anos: até 6,5 ng/ml

 

3. Devo fazer o teste do PSA?

O exame ao PSA é um teste usado para detectar possíveis problemas prostáticos. Assim sendo, deve ser utilizado nas seguintes situações, onde a probabilidade aumenta:

  • Presença de sintomas;
  • Reconhecimento de factores de risco (incluindo idade, a partir dos 50 anos).

Quando um paciente apresenta patologias da próstata, tende a apresentar alguma sintomatologia, com mais ou menos intensidade. No entanto, por outro lado, há situações em que nenhum sintoma é sentido.

Alguns dos sintomas mais comuns são:

  • Dor ou ardor ao urinar;
  • Urgência urinária;
  • Micção frequente de dia e de noite;
  • Fluxo fraco ou intermitente.

Quanto aos factores de risco, os homens que desenvolvem mais patologias da próstata são aqueles com idade superior a 50 anos, alta presença de testosterona e dietas pouco saudáveis ricas em gorduras.

Se reconhece algumas destas situações, o seu médico pode aconselhá-lo a realizar um teste de PSA.

 

4. O teste do PSA é recomendado para o rastreio do Cancro da Próstata?

Este procedimento é, na medicina actual, o melhor marcador tumoral, pelo que é bastante utilizado para o despiste da doença.

A realização deste exame anualmente, por rotina, é polémica: é recomendada pelas Associações de Urologia (sendo os urologistas os médicos que lidam com os casos graves desta doença, os que causam sofrimento e são fatais) enquanto que para outras associações, por exemplo de medicina geral e familiar, esta realização não deveria ter um carácter regular e “obrigatório”.

Como forma de melhorar a sensibilidade e especificidade do exame, ao longo do tempo foram surgindo mais parâmetros de avaliação, relacionados com o PSA, nomeadamente:

  • Relação entre PSA livre e PSA total;
  • Velocidade do PSA;
  • Densidade do PSA;
  • PSA em função da idade;
  • PSA da Zona de Transição.

 Teste Psa 04 03

5. O exame do PSA é suficiente para o diagnóstico de Cancro?

Apesar de útil, este teste não é totalmente fidedigno, pelo que não é suficiente por si só para o diagnóstico. Porquê?

É certo que a probabilidade de ter cancro aumenta à medida que o nível de PSA sobe.

Ainda assim, isso não significa que um homem com um valor alto sofra obrigatoriamente de uma patologia oncológica, assim como não é possível dizer que um valor baixo indica que não existe nenhum problema.

É de destacar que alguns estudos indicam que 1 em cada 7 homens com um PSA normal pode ter cancro.

Além do mais, existem factores que fazem aumentar os níveis de PSA que não estão relacionados com doenças malignas.

Alguns deles são:

 

Portanto, este é um exame que pode induzir alguns falsos-positivos ou negativos. Ambas as situações são prejudiciais – uma por causar alarme e ansiedade desnecessária e a outra por dar uma falsa sensação de segurança.

 

6. E se um teste de rastreio mostrar um nível elevado de PSA?

Como já vimos, um nível elevado não é sinónimo de cancro, pois existem outras razões para esta elevação.

Assim sendo, o médico pode aconselhar repetir o exame numa fase posterior ou pedir que sejam realizados outros exames para obter mais parâmetros de avaliação, permitindo assim um diagnóstico o mais correcto, fiel e preciso possível.

Normalmente, os mais comuns são o toque rectal, ressonâncias magnéticas, ecografias e biópsias.

 

7. Em que casos deve ser feita a biópsia da próstata?

A biópsia é, geralmente, realizada em casos suspeitos de tumor da próstata.

É o único método que permite confirmar um diagnóstico de cancro, ao analisar amostras do tecido prostático.

Antigamente, um valor de PSA era considerado suspeito quando era superior a 4 ng/mL. Contudo, hoje em dia considera-se mais correcto associar estes dados a outros parâmetros, como a idade, a presença de nódulos detectados no toque rectal ou numa ressonância, velocidade de elevação do PSA, a relação entre o PSA livre e o total, por exemplo, para recorrer a uma biópsia prostática.

 

Informe-se com profissionais especializados! Pelo bem da sua Saúde.

Ainda que muitas dúvidas possam ter sido esclarecidas com este texto, ninguém melhor que um médico poderá responder com propriedade a todas as questões sobre o exame do PSA.

Afinal de contas, estar bem informado é o ponto de partida para preservar a própria saúde.

Ao escolher o Instituo da Próstata, não só beneficiará de todo o equipamento tecnológico como também de um aconselhamento especializado, atento e de confiança.

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Artigos Relacionados

Dr. José Santos Dias no XVI Simpósio da Associação Portuguesa de Urologia

O Dr. José Santos Dias, Director Clínico do Instituto da Próstata, foi um dos oradores do XVI Simpósio da Associação Portuguesa de Urologia (APU), que decorreu no dia 10 de Outubro de 2020, em Lisboa, Porto e Coimbra. Este evento, com...

Cancro da Próstata: Braquiterapia é das técnicas com menos efeitos colaterais

A possibilidade de surgirem efeitos colaterais é uma das preocupações mais recorrentes quanto aos tratamentos do cancro prostático. O cenário ideal é eliminar o tumor e melhorar a qualidade de vida dos pacientes, não tendo de lidar com...

Os Tratamentos mais eficazes para homens com Próstata Aumentada

As opções terapêuticas para a próstata aumentada, ou Hiperplasia Benigna da Próstata, são uma forma de acabar com a sintomatologia típica e incomodativa. Hoje em dia existe uma vasta gama de opções para o tratamento deste...

Pedido de Marcação de Consulta