Qual é a Principal Causa do Cancro da Próstata?

Seja qual for a patologia, é fundamental determinar a sua causa. Só assim, é possível reduzir a probabilidade da sua  incidência, fazer o diagnóstico e atacar a doença. 

No cancro da próstata, é ainda mais importante estar consciente das razões por que se manifesta. 

Trata-se de um tipo de tumor maligno que, muitas vezes, não revela qualquer sintomatologia, agravando silenciosamente. 

Está nas mãos dos doentes estarem atentos aos sinais do seu corpo e reconhecerem os fatores de risco que contribuem para o aparecimento deste tumor.

Quanto mais precoce o cancro for detectado, melhores os resultados. 

 

O que é o Cancro da Próstata?

É um tumor maligno que se desenvolve na próstata. Na maioria das vezes, corresponde ao tipo adenocarcinoma, ou seja, este tipo de cancro tem origem nas células glandulares que constituem a glândula prostática. 

Ainda que possa apenas desenvolver-se no órgão de origem, pode também crescer e invadir os tecidos circundantes.  

Em casos mais graves em que há metastização, pode migrar e afetar outras regiões do organismo mais distantes. 

 

A incidência do cancro da próstata, risco e mortalidade

Os dados são expressivos da prevalência deste tumor.

Em 2018, o cancro da próstata foi considerado a 2ª patologia oncológica mais diagnosticada no mundo, em homens.

Entre todos os tipos de cancro, o da próstata é considerado a 2.ª maior causa de morte em Portugal - sendo apenas ultrapassado pelo cancro do pulmão. 

Mas há boas notícias.  

Dados revelam que, entre 2010 e 2014, Portugal registou taxas de sobrevivência acima da média da União Europeia: 91% contra 87%, respectivamente.

Qual A Principal Causa Do Cancro Da Prostata

 

Como é que o Cancro da Próstata se desenvolve?

Em condições normais, as células com que nascemos não são as mesmas com que morremos. Vão-se reproduzindo e multiplicando ao longo do tempo, dando origem a novas células. 

Quando ocorrem mutações no ADN das células glandulares, começam a reproduzir-se sem controlo e a um ritmo elevado

A par desta anomalia, as células que se encontram modificadas geneticamente não morrem como as células normais, o que gera uma acumulação das mesmas. 

Este é, então, o fenómeno que dá origem ao tumor.  

As causas para a ocorrência destas mutações não são completamente conhecidas – tem uma componente hereditária, mas há outros fatores de risco importantes. 

 

Factores de Risco do Cancro da Próstata a que deve prestar atenção

Ainda que, como referido, a causa não seja exata, há alguns factores que parecem aumentar a probabilidade de desenvolver cancro da próstata, pelo que não devem ser ignorados. 

Ainda assim, mesmo nos casos em que o risco é maior, não significa que a patologia, obrigatoriamente, se manifeste. 

De forma geral, estas condições podem caracterizar-se por serem modificáveis ou não modificáveis. Significa que umas podem ser alteradas e outras não, uma vez que correspondem a características inerentes a cada pessoa. 

No primeiro grupo, incluem-se as questões relacionadas com os estilos de vida, nomeadamente:

  • Hábitos alimentares: principalmente as dietas ricas em gorduras;
  • Níveis de testosterona: esta hormona masculina promove a multiplicação das células da próstata;
  • Obesidade;
  • Elevada exposição a componentes tóxicos.

Por outro lado, os factores de risco que aumentam as hipóteses de desenvolver este tipo de tumor e que não se podem modificar são: 

  • Idade: a probabilidade é maior em homens com mais de 50 anos, sendo um tipo de cancro mais raro em faixas etárias jovens;
  • Origem étnica: homens de raça negra apresentam maior predisposição, em comparação com outras raças, ainda que as razões não sejam conhecidas;
  • Histórico Familiar: é muito comum que vários homens da mesma família sofram desta patologia.

 

O Diagnóstico tem o poder de salvar vidas

Sendo um tipo de patologia que, por norma, não apresenta nenhuma sintomatologia associada, por vezes a única forma de ter a certeza que está tudo bem com a sua saúde é através de um diagnóstico proactivo.  

Nas consultas são feitos diversos exames que permitem confirmar a doença, bem como avaliar a sua gravidade - consoante a extensão e a localização do tumor. 

Para além disso, o diagnóstico deve ser realizado o mais cedo possível. 

O estádio mais favorável para conseguir alcançar bons resultados e um tratamento definitivo é o que corresponde à fase inicial da doença.

No Instituto da Próstata, não nos cansamos de o repetir. 

Se apresenta algum, ou vários, destes factores de risco, marque uma consulta. Lidamos todos os dias com patologias da próstata. Recorremos a técnicas inovadoras e equipamentos de ponta para lhe oferecer um diagnóstico rigoroso e com total precisão. 

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Artigos Relacionados

Recidiva do Cancro do Rim: é comum?

É normal sentir alívio ao terminar o tratamento para um cancro no rim. Ainda assim, é igualmente natural preocupar-se com a hipótese de o problema poder voltar. Ninguém quer passar pelo mesmo processo outra vez e voltar a experimentar sentimentos de...

Biópsia de Fusão no Diagnóstico do Cancro da Próstata

Sendo o cancro da próstata uma das neoplasias malignas mais comuns nos homens, é primordial encontrar métodos que permitam diagnosticar o problema com cada vez mais eficiência. A evolução das técnicas e estratégias de...

Crioterapia para o tratamento da Recidiva do Cancro da Próstata

Receber um diagnóstico de cancro da próstata pela primeira vez não é fácil. Afinal, é uma patologia séria, capaz de abalar emocionalmente qualquer pessoa. Infelizmente, mesmo após um primeiro tratamento, o pesadelo pode voltar,...

Pedido de Marcação de Consulta