Perguntas e Respostas sobre a Vasectomia

Falar em Vasectomia é um assunto delicado e tabu para muitos homens que procuram um tipo de método contraceptivo individual e mais definitivo. 

O desconhecimento acerca do assunto leva à formação de crenças erradas, nomeadamente quanto à realização do procedimento e aos riscos que acarreta (ou não).

Esclareça todas as suas dúvidas sobre a Vasectomia neste artigo para que o assunto seja encarado sem receios.

Entrevista do Dr. José Santos Dias no programa Desejo Imediato

 

1. Em que consiste a Vasectomia?

A Vasectomia é uma forma segura e eficaz de contracepção masculina. O procedimento não altera o desejo sexual, não diminui a potência sexual nem altera as características do esperma.  

Esta intervenção consiste na interrupção do caminho dos espermatozóides em algum ponto dos canais deferentes. 

Numa situação normal, estas células viajam dos testículos, onde são produzidas, pelos canais deferentes, até se misturarem com outros fluidos que compõem o sémen, provenientes da próstata e das vesículas seminais, sendo, por fim, expelidos para o exterior.

Com uma Vasectomia, os espermatozóides não chegam a juntar-se às outras secreções, impedindo assim a gravidez.

 

2. Como decorre o procedimento?

A Vasectomia é uma intervenção relativamente simples e rápida, podendo ser realizada em ambulatório. 

Consiste na realização de uma pequena incisão ou orifício através da pele, através dos quais é possível identificar, isolar, seccionar e laquear os canais deferentes, com pontos cirúrgicos nas extremidades, obstruindo os mesmos (como mostra a imagem). 

Vasectomia Procedimento

 

Este procedimento pode ser realizado em clínica ou em contexto hospitalar, com recurso a anestesia local ou sedação, de forma a garantir o máximo conforto e segurança para o paciente.

Após a intervenção é aconselhado ficar 1 a 3 dias em repouso. Após cerca de 4-5 dias, pode retomar a vida normal. 

 

3. A Vasectomia pode ser encarada como um método contraceptivo?

Sim, porque impede a fecundação natural. A vasectomia é um método contraceptivo.

Trata-se de um dos métodos que integra a estratégia de Planeamento Familiar Masculino, assim como o uso do preservativo, a pílula ou a laqueação de trompas.

Apesar de ser um procedimento pouco utilizado em Portugal, ao contrário do que acontece noutros países como Espanha ou Brasil, pode ser a escolha certa para muitos homens/casais.
Por exemplo, para quem já experimentou outros métodos que se revelaram ineficazes, ou para quem não deseja ter mais filhos (ou não ter de todo).

Em qualquer caso, a realização de uma Vasectomia deve ser discutida e ponderada com consciência, uma vez que as circunstâncias da vida mudam e o desejo de reprodução pode surgir mais tarde.

 

4. A Vasectomia tem efeitos na função sexual?

É uma das principais preocupações dos homens, mas que, na verdade, não tem fundamento e só serve para aumentar a resistência ao procedimento.  

Realizar uma Vasectomia não tem efeitos negativos na função sexual, nomeadamente quanto à capacidade de erecção, líbido ou aspecto e quantidade de sémen expelido.

Primeiro, porque os canais deferentes não interferem com as estruturas do pénis responsáveis pela erecção - como as artérias e veias -, pelo que a manipulação destes vasos não impede o pénis de se manter erecto durante a actividade sexual.

Segundo, o processo de produção e ejaculação do sémen continua a existir, embora sem espermatozóides.

Além do mais, estas células reprodutoras representam uma pequena porção do líquido total, pelo que a sua ausência não altera o aspecto do mesmo.

 

5. Quais as principais vantagens da Vasectomia?

Além de não interferir com a função sexual, o processo de laqueação dos deferentes dá ao homem maior controlo sobre a sua sexualidade e capacidade de reprodução. 

Na esmagadora maioria dos casos, a preocupação com os métodos contracetivos recai sobre a mulher. Não é o que acontece com a vasectomia.

Além disso, é uma técnica segura, eficaz e pouco invasiva, com reduzidos efeitos secundários. 

Nalguns casos, após o procedimento existe alguma sensibilidade, dor ligeira ou edema na região intervencionada, mas são sintomas que desaparecem ao fim de algumas horas ou dias. 

Apesar de existir o risco de complicações, como hemorragia ou infecção, tal como em qualquer intervenção cirúrgica, o risco é reduzido. Por norma, o homem pode regressar à vida habitual dentro de 5 dias a uma semana. 

 

6. A Vasectomia tem efeitos imediatos?

A Vasectomia não tem efeitos imediatos. Este ponto é muito importante.

Se existirem relações sexuais desprotegidas nos primeiros 3 a 4 meses após a intervenção, existe o risco de engravidar.

Isto acontece porque podem permanecer alguns espermatozóides nos canais deferentes após a intervenção, o que é normal. Não significa que a intervenção foi mal sucedida. 

Os métodos contraceptivos utilizados antes do procedimento devem ser mantidos até a ausência total de espermatozóides no sémen ser confirmada com um exame denominado espermograma. Por norma, ocorre ao fim de 3 a 4 meses. 

Após esse período (e depois de realizar o espermograma que confirme a ausência de espermatozóides) a probabilidade de engravidar é nula.

 

7. É possível reverter os efeitos da Vasectomia?

Em alguns casos, sim, é possível reverter a Vasectomia. 

A Vasovasostomia, é o método que procura devolver espermatozóides ao sémen expelido durante a ejaculação. É um processo difícil e delicado e o resultado pode não ser satisfatório - a taxa de sucesso não atinge os 100%.

É por esta razão que a Vasectomia deve ser encarada como um método definitivo.

No entanto, nos casos em que se efectua uma tentativa de reverter a vasectomia  (a referida vaso-vasostomia), é criada uma nova conexão entre as extremidades previamente seccionadas. 

Outra possibilidade para o homem poder voltar a ser pai após uma vasectomia consiste na obtenção de espermatozóides a partir do testículo - o homem que realizou a vasectomia não é infértil, continua a produzir espermatozóides normalmente, pelo que é possível colher do testículo para obter a gravidez).

 

Em alguns casos, se a técnica da vasectomia não for a correcta, pode ocorrer uma “recanalização” espontânea, após a cirurgia. Alguns estudos concluíram que a maior parte dos casos de recanalização ocorre no espaço de cerca de 12 semanas após a intervenção.

Quando tal acontece, a capacidade de reprodução volta a estabelecer-se porque, mesmo após a vasectomia, os espermatozóides continuam a ser produzidos.

É também por isso que é essencial realizar o espermograma de controle, após a cirurgia. 

 

Fale com um médico especialista experiente e de confiança 

Quando a Vasectomia é realizada, os seus efeitos são para a vida. Os homens deixam de poder ter filhos, da forma natural, através de relações sexuais, de forma permanente.

Assim, é fundamental que todas as opções sejam discutidas, todas as dúvidas sejam esclarecidas e todas as inquietações sejam acalmadas, a fim de estar o mais seguro possível na altura de realizar o procedimento.

No Instituto da Próstata temos os meios, as técnicas e os profissionais mais experientes para lhe prestar todo o apoio que precisa, tanto na fase pré-intervenção, como ao longo do procedimento e no período pós-operatório. 

Marque uma consulta. Esclareça as suas dúvidas e decida com base em informação fidedigna.

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Pedido de Marcação de Consulta