O que é a Incontinência Urinária Masculina e Como Tratar

A incontinência urinária masculina é um dos problemas mais comuns que afectam o aparelho urinário dos homens.

É também uma das causas para o aparecimento de determinados constrangimentos sociais, na diminuição de qualidade de vida e autoestima.

Ainda assim, pode descansar: existem tratamento eficazes para o problema.

É possível aumentar o bem-estar pessoal e também diminuir as hipóteses de o problema se prolongar no tempo.

Neste artigo damos-lhe a conhecer tudo sobre a incontinência urinária: as suas causas, os vários tipos e ainda as terapêuticas mais promissoras. 

 

O que é a Incontinência Urinária Masculina?

A incontinência urinária traduz-se na ocorrência de perdas de urina de forma involuntária pela uretra.

Ainda que possa surgir em qualquer faixa etária,
a incontinência urinária é mais comum a partir dos 45/50 anos. A probabilidade aumenta depois dos 70 anos.

Como não se trata de uma patologia grave e não representa perigo de vida, é um problema frequentemente desvalorizado.

No entanto, afecta negativamente a qualidade de vida e a esfera social, podendo interromper o sono ou causar vergonha por causa das perdas não controladas de urina. 

A autoimagem dos homens, e consequentemente a sua autoestima, são fortemente abaladas.

 

Factores de Risco e Causas da Incontinência Urinária

Sendo bastante comum, alguns homens apresentam uma maior tendência para desenvolver este problema.

Existem algumas condições que aumentam o risco de desenvolver incontinência urinária, entre as quais:

  • Idade avançada;
  • Infecções urinárias;
  • Quadros de alterações cognitivas, neurológicas e/ou funcionais;
  • Queixas urinárias, denominadas por LUTS (Lower Urinary Tract Symptoms)

Este problema pode resultar de situações como as seguintes:

  • Anomalias do esfíncter urinário (anel de músculos que contraem quando a bexiga enche para reter a urina e evitar as perdas);
  • Situações pós-traumáticas;
  • Patologias da bexiga (como hiperactividade do órgão ou diminuição da capacidade vesical);
  • Situações pós-cirúrgicas (como nas intervenções à próstata ou ao intestino);
  • Problemas ou patologias da próstata (que se repercutem na bexiga).

Instituto Da Prostata O Que E A Incontinencia Urinaria Masculina E Como Tratar

 

Quais são os vários tipos de Incontinência Urinária Masculina?

Este problema pode apresentar várias tipologias, que influenciam a forma como o mesmo se manifesta.

Daí ser da máxima importância realizar um diagnóstico completo, minucioso e adequado. 

Geralmente, é realizado através do estudo da história clínica do paciente e das suas queixas e recorrendo igualmente ao exame objectivo - com avaliação abdominal, da região genital e o toque rectal, entre outros.

Além disso, pode ser necessário recorrer a outros métodos - designados por exames complementares - incluindo a urofluxometria, ecografias (aos rins, bexiga ou próstata), estudo urodinâmico completo e cistoscopia

Assim sendo, existem 3 tipos mais comuns de incontinência urinária masculina, causados por:

  1. Bexiga hiperactiva;
  2. Regurgitação/extravasão;
  3. Rsforço.

Vejamos o que caracteriza cada um dos diferentes tipos. 

 

1. Bexiga Hiperactiva

Nesta condição, o paciente sente uma vontade súbita de ir à casa de banho. Esta urgência surge porque o funcionamento da bexiga está alterado: a capacidade de contracção torna-se anormal, gerando pressões elevadas no seu interior. 

Assim, mesmo que o esfíncter não tenha sofrido alterações, a pressão excede a sua força, causando perda de urina.

 

2. Incontinência por Regurgitação/Extravasão

Neste tipo de incontinência urinária existe geralmente uma obstrução crónica da bexiga que leva a uma progressiva distensão deste órgão e à perda progressiva da capacidade de contracção. Como o mecanismo normal de expulsão da urina é afectado, a bexiga nunca esvazia completamente e fica com cada vez mais urina residual até que acontece a consequente extravasão.

 

3. Incontinência por Esforço

Neste caso, as perdas acontecem por acções que provocam um esforço e aumento da pressão abdominal, como espirrar, tossir, rir ou mudar de posição; por uma alteração da capacidade do esfíncter - que não contrai como o esperado, não encerrando a uretra - ocorre perda de urina

 

Sintomas e Sinais de Alarme 

Além dos factores de risco, existem sintomas associados que são comuns entre os homens que sofrem de incontinência urinária.

Estes sintomas dividem-se em 3 tipos:

  • Esvaziamento - podem ser ligeiros ou mais marcados e caracterizam-se por situações como esforço para urinar, atraso no início da micção, jato fino e fraco, intermitência ou prolongamento do processo;
  • Armazenamento - urgência ou vontade súbita de urinar, aumento da frequência das micções e necessidade de urinar durante a noite;
  • Pós-miccionais - gotejo após a micção e sensação de esvaziamento incompleto.

 

Como tratar a Incontinência Urinária Masculina?

Este problema apresenta várias opções de tratamento. É importante destacar que o prognóstico desta situação é, em regra, bastante positivo. 

É possível recuperar a qualidade de vida, principalmente se a terapêutica for adequada consoante o tipo, a causa e a evolução da incontinência.

As soluções disponíveis dizem respeito a técnicas não invasivas ou, em alternativa, a pequenas intervenções.

No primeiro grupo - os métodos não invasivos - , encontram-se as seguintes opções:

  • Terapêutica médica com medicamentos (como os Anti-Muscarínicos e Beta-3 Agonistas);
  • Alteração de hábitos e estilos de vida (mudanças alimentares, ingestão de líquidos na dose recomendada, entre outras novas rotinas);
  • Reabilitação/Reeducação Pélvica (com técnicas como a eletroestimulação e o biofeedback, associadas às manobras posturais designadas Exercícios de Kegel, técnicas clássicas de Fisioterapia).

Quanto às técnicas invasivas, consideram-se as seguintes:

  • Injecção de “bulking agents” - encerram a uretra, ajudando o esfíncter, em casos ligeiros;
  • Colocação de “sling” - dispositivos conhecidos por ”fitas”, insufláveis ou não, por baixo da uretra que impedem perdas de urina, para a incontinência ligeira a moderada;
  • Colocação de esfíncter artificial - dispositivo que o paciente activa quando quer urinar, usado em casos mais graves.
  • Injecção de Toxina Botulínica intra-vesical ou colocação de Neuromodulador (técnicas reservadas para casos especiais).

Com estes tratamentos minimamente invasivos, as perdas habitualmente terminam após a intervenção. 

Por outro lado, nos casos de técnicas não invasivas, os sintomas melhoram progressivamente ao longo do tempo, à medida em que é efectuada a terapêutica.

 

Usufrua de uma vida em pleno sem Perdas de Urina

A vergonha é uma das inimigas no tratamento da incontinência urinária, sendo, no entanto, uma situação muito recorrente.

Por isso, é essencial perceber que este problema tem solução, pelo que de nada vale protelar a decisão de consultar um especialista.

Os profissionais do Instituto da Próstata tratam diariamente homens com este problema. Têm uma grande experiência nos métodos e tratamentos mais eficazes e indicados para cada caso. 

Não espere mais: marque uma consulta de diagnóstico. Dê o primeiro passo e recupere qualidade de vida.

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Artigos Relacionados

Dr. José Santos Dias no XVI Simpósio da Associação Portuguesa de Urologia

O Dr. José Santos Dias, Director Clínico do Instituto da Próstata, foi um dos oradores do XVI Simpósio da Associação Portuguesa de Urologia (APU), que decorreu no dia 10 de Outubro de 2020, em Lisboa, Porto e Coimbra. Este evento, com...

Cancro da Próstata: Braquiterapia é das técnicas com menos efeitos colaterais

A possibilidade de surgirem efeitos colaterais é uma das preocupações mais recorrentes quanto aos tratamentos do cancro prostático. O cenário ideal é eliminar o tumor e melhorar a qualidade de vida dos pacientes, não tendo de lidar com...

Os Tratamentos mais eficazes para homens com Próstata Aumentada

As opções terapêuticas para a próstata aumentada, ou Hiperplasia Benigna da Próstata, são uma forma de acabar com a sintomatologia típica e incomodativa. Hoje em dia existe uma vasta gama de opções para o tratamento deste...

Pedido de Marcação de Consulta