Rezum e Outras Técnicas para HBP

Em que consiste a técnica Rezum?

O Instituto da Próstata é um dos primeiros centros em Portugal a disponibilizar a nova técnica de tratamento do aumento benigno da próstata (HBP), designada por Rezum.

Este novo método permite tratar a HBP de uma forma eficaz, mas menos agressiva do que as técnicas utilizadas até aqui. 

Tem várias vantagens:

  • Não requer hospitalização;
  • Não tem efeitos na função sexual;
  • Os doentes não precisam de continuar a tomar medicação e a sofrer os respectivos efeitos secundários. 

Os estudos científicos realizados mostram que as melhorias foram consistentes e mantiveram-se ao fim de 5 anos de tratamento - ao contrário de outras técnicas para o tratamento da HBP, que apresentam apenas resultados de curto prazo, com recidiva frequente das queixas após algum tempo. 

Pode, por isso, ser útil em muitos doentes com problemas causados pela próstata, em alternativa aos medicamentos, à cirurgia e a outras técnicas de tratamento da HBP.

Como é o procedimento pela técnica de Rezum?

O procedimento é rápido e simples. 

A intervenção, minimamente invasiva, é realizada com recurso a uma sedação ou anestesia local, portanto, o doente não sente qualquer dor durante todo o procedimento. 

Durante a intervenção, o sistema Rezum vai fornecer doses controladas e direccionadas de energia térmica libertada pelo vapor de água para o tecido prostático.  

A energia do vapor de água é transferida para as células da próstata, que são mortas e eliminadas pelo organismo, reduzindo o tamanho deste orgão. 

Desta forma, existe um progressivo alívio das queixas urinárias habituais nestes casos, tais como urinar de noite, urinar frequentemente, vontade súbita de urinar, jacto fino/fraco, sensação de não esvaziar a bexiga e dificuldade em começar a urinar, entre outras.

Vantagens do Rezum

É uma técnica minimamente invasiva, efectuada em ambulatório. 

Apresenta como grande vantagem o facto de não provocar ejaculação retrógrada, um dado importante em doentes jovens ou sexualmente activos. 

A técnica Rezum evita ainda os efeitos secundários dos medicamentos utilizados no tratamento da HBP, tais como a hipotensão, a disfunção eréctil, a redução da líbido ou a redução/ausência de ejaculação causados por estes fármacos.

 

Que outras técnicas minimamente invasivas existem?

Desde há vários anos, foram descritas e utilizadas diversas técnicas para o tratamento minimamente invasivo da HBP, tais como o TUNA (TransUrethral Needle Ablation – Ablação Trans-uretral por Agulhas, que utiliza a energia de ondas de radiofrequência), a hipertermia próstática, a utilização de micro-ondas, a embolização prostática e os stents prostáticos, entre outras. 

O objectivo destas novas técnicas seria obter os mesmos (ou melhores) resultados do que os métodos utilizados há mais anos, sem os inconvenientes, riscos e complicações destes, ou seja, apresentarem uma menor morbilidade. 

No entanto, nenhuma destas técnicas se conseguiu impor, por diferentes motivos (nomeadamente menor eficácia ou rápida recidiva dos sintomas em relação a outras alternativas de tratamento).

A única com resultados verdadeiramente promissores é a técnica Rezum. 

Screenshot 2020 10 28 At 12.46.59
Como é o procedimento pela técnica de Rezum

Quer saber mais sobre a inovadora técnica Rezum?

O Instituto da Próstata é um dos primeiros centros em Portugal a disponibilizar a nova técnica de tratamento do aumento benigno da próstata. É uma técnica promissora, que preserva a função sexual.

Como é o Pós-tratamento da técnica Rezum?

Depois do procedimento e devido ao edema na zona tratada, o doente regressa a casa com um catéter para drenagem da urina da bexiga, que permanecerá com o paciente durante uns dias. 

Os doentes tratados podem retomar a sua actividade normal alguns dias após o tratamento. Os sintomas começam a aliviar a partir das duas semanas. A melhoria máxima das queixas atinge-se cerca dos 3 meses após a realização da técnica, mantendo-se a partir daí.

Ao fim de 5 anos, 96% dos doentes não necessitaram de ser sujeitos a qualquer outra intervenção. Os estudos revelam que existem melhorias em diversos indicadores, tais como: 

  • Qualidade de vida dos doentes; 
  • Índice de impacto da HBP;
  • Pontuação nos inquéritos de sintomas relacionados com a próstata;
  • Fluxo máximo, medido na urofluxometria. 

Trata-se, por isso, de uma técnica muito promissora e com bastantes vantagens em relação às técnicas clássicas. 

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Perguntas Frequentes sobre a técnica Rezum

O procedimento Rezum é eficaz?

icon down

O que esperar do procedimento Rezum?

icon down

Quais os doentes que podem beneficiar desta técnica?

icon down

O procedimento da técnica Rezum é doloroso?

icon down

Ao fim de quanto tempo surge o alívio dos sintomas da HBP?

icon down
Referências

Pedido de Marcação de Consulta