Hiperplasia Benigna da Próstata

O que é a Hiperplasia Benigna da Próstata?

A Hiperplasia Benigna da Próstata (HBP), aumento do volume da glândula da próstata, é uma das doenças mais frequentes nos homens

Esta condição médica resulta do aumento do número de células da próstata.

O crescimento ocorre ao longo dos anos devido à estimulação da proliferação destas células por acção da testosterona, a “hormona masculina”.

O acréscimo no número de células causa o aumento do volume e tamanho da próstata, com consequente compressão da uretra e queixas urinárias.

Contudo, é preciso ter presente que neste caso a dilatação da próstata não é causada por cancro

A HBP desenvolve-se, principalmente, numa área designada por zona de transição, situada em torno da uretra. Os tumores malignos da próstata, pelo contrário, costumam surgir na zona periférica (cerca de 70% dos tumores surgem nesta região).

Causas da Hiperplasia Benigna da Próstata

Não se conhecem totalmente as causas exatas da HBP. Há, no entanto, vários factores de risco que contribuem e estão associados ao desenvolvimento da doença. Os únicos factores conhecidos são:
Older
Idade
Homens com mais de 50 anos têm um risco acrescido; o envelhecimento leva à perda de capacidade do músculo da bexiga para contrair de forma normal, contribuindo para o agravamento dos sintomas com a idade.
Testosterona
Presença de testosterona
A testosterona é responsável por "alimentar" o crescimento das células da próstata que são responsáveis pela HBP.
Burger
Dietas ricas em gorduras
Favorecem o desenvolvimento de hiperplasia benigna da próstata devido a alterações corporais; sabe-se, por outro lado, que os vegetais têm um papel protetor.
Hereditariedade
Histórico familiar
O histórico familiar de próstatas de grandes dimensões, nomeadamente em doentes com idades mais jovens, é um factor influenciador.

Alguns estudos têm associado a diabetes a uma maior probabilidade para desenvolver esta doença, mas é necessária mais evidência científica para comprovar este dado. 

O mesmo acontece com o exercício físico. Parece aligeirar os sintomas urinários, embora não haja uma relação causa-efeito nítida para que possa ser prescrito na prevenção da HBP. 

Sintomas da Hiperplasia Benigna da Próstata

No início da doença, nem todos os homens têm sintomas. Mas, à medida que a próstata cresce de tamanho, começa a comprimir a uretra e surgem as queixas urinárias. 

Estes sintomas afetam de maneira significativa o bem-estar e a qualidade de vida dos homens afectados, se não forem devidamente tratados. 

Pode levar a alterações da função da bexiga e dos rins, com consequências graves como a formação de pedras na bexiga, infecções urinárias ou aparecimento de sangue na urina e mesmo, em casos mais extremos, a insuficiência renal e a retenção urinária (com necessidade do doente ser algaliado). 

As queixas do aparelho urinário, designadas por LUTS (Lower Urinary Tract Symptoms) dividem-se em três categorias. 

Teste Ipss Sintomas Prostata

Sintomas de Esvaziamento

  • Diminuição do jacto urinário, que pode ser fraco e/ou fino;
  • Demorar a começar a urinar (atraso miccional inicial);
  • Demorar muito tempo a urinar (aumento do tempo miccional);
  • Urinar por diversas vezes, não urinar tudo de uma vez, com interrupção do jacto;
  • Necessidade de fazer esforço abdominal para urinar;
  • Ardor miccional (ardor a urinar);
  • Retenção urinária (não conseguir, de todo, urinar);
  • Incontinência (perda de urina) durante o sono. 

Sintomas de Enchimento

  • Necessidade súbita de urinar;
  • Incapacidade de reter a urina, quando se tem vontade súbita de urinar;
  • Aumento da frequência das micções;
  • Aumento do número de vezes que se urina durante a noite;
  • Dor/sensação de peso abaixo do umbigo.

Sintomas Pós-Miccionais

  • Sensação de não esvaziar completamente a bexiga;
  • Ficar a pingar urina no fim de urinar.

Outros sintomas

A mesma sintomatologia pode ser causada por diversas outras situações, tal como apertos ("estenoses") da uretra, tumores da bexiga, alterações neurológicas da bexiga, situações de ansiedade, hábitos de vida menos saudáveis, a toma de alguns medicamentos, entre outros problemas de saúde.

A presença de sangue na urina pode também ocorrer; tem de se confirmar que não é causada por outra patologia, nomeadamente do foro oncológico, mas pode surgir por hemorragia com origem na próstata (é uma das situações em que há indicação para cirurgia pela HBP).

Note também que é possível ter Hiperplasia Benigna da Próstata e não ter nenhum destes sintomas.

Diagnóstico de Hiperplasia Benigna da Próstata

O diagnóstico é feito através de um conjunto de dados provenientes da história clínica e do exame objectivo que são, posteriormente, confirmados pelos exames complementares de diagnóstico adequados à situação clínica. 

 

História Clínica

A história clínica do doente é a base do diagnóstico. 

Com esta avaliação pretende-se determinar as queixas que o doente apresenta e a sua quantificação com inquéritos de sintomas, identificando: 

  • Duração dos sintomas;
  • Evolução ao longo do tempo;
  • Repercussão sobre o bem estar e a qualidade de vida da pessoa. 

Os sintomas tendem a agravar com a idade, mas esta não é uma regra absoluta. Há situações em que estabilizam ou melhoram espontaneamente. 

Muito frequentemente, as queixas são flutuantes ao longo do tempo, com um ligeiro agravamento progressivo.

Devem pesquisar-se outras causas possíveis para as queixas urinárias, rever os hábitos do doente e os medicamentos que toma, bem como a existência de outras doenças ou cirurgias prévias. 

Deve também perguntar-se ao doente se, no passado, alguma vez foi algaliado ou teve infecções da uretra, que podem associar-se a estenoses (apertos) da uretra e causar sintomas idênticos à HBP. 

 

Exame Objectivo

O exame objectivo inclui a realização do toque rectal e serve para confirmar o aumento benigno e ajudar a excluir a presença de um tumor. 

 

Exames complementares de diagnóstico

Além da História Clínica e do Exame Objectivo são geralmente necessários alguns exames complementares, tais como:

  • Análises ao sangue (como o PSA, para excluir um cancro);
  • Exames à urina;
  • Ecografias;
  • Outros exames, como uma urofluxometria. 

O médico pode considerar pertinente realizar uma ecografia da bexiga e dos rins, uma endoscopia da uretra e da bexiga, ou um estudo urodinâmico completo, por forma a obter maior precisão no diagnóstico e caracterização da doença.

Video Hiperplasia Benigna Prostata
O Dr. José Santos Dias explica o que é a Hiperplasia Benigna da Próstata (HBP).

Tem algum sintoma que indicie Hiperplasia Benigna da Próstata?

O toque rectal e a análise do PSA permitem confirmar ou desmentir as suspeitas de HBP e detectar alterações sugestivas de cancro da próstata. São exames rápidos e que estão na linha da frente do diagnóstico deste tipo de tumor.

Tratamentos para a Hiperplasia Benigna da Próstata

Existem diversas formas de tratamento da HBP. Alguns doentes não necessitam de qualquer terapêutica e, mesmo sofrendo da doença, basta serem vigiados com regularidade.

É o caso dos doentes sem sintomas ou com queixas ligeiras, sem repercussão significativa no seu bem estar e na sua qualidade de vida. 

Grande parte dos doentes com HBP necessita de tratamento com medicamentos. É o caso dos doentes com sintomatologia moderada ou mesmo grave, com impacto significativo na sua qualidade de vida. Nestes casos, é possível utilizar diversas possibilidades terapêuticas, vários medicamentos, com efeitos diferentes e que devem ser adaptados a cada doente e a cada caso.

Existem três grandes grupos de medicamentos para tratar a HBP: os alfa-bloqueantes (silodosina, tansulosina, alfuzosina), os inibidores da 5 alfa-redutase (finasteride e dutasteride) e a fitoterapia (extratos de plantas como a serenoa repens). Outros medicamentos podem ser associados para reduzir algumas das queixas urinárias, nomeadamente o aumento da frequência urinária e a vontade súbita de urinar (os anti-muscarínicos como o trospium e a solifenacina ou o beta 3-agonista mirabegron) ou as micções durante a noite (como a desmopressina). 

O médico define com o doente qual a melhor abordagem. Para além destas terapêuticas, existem outros tratamentos, mais ou menos invasivos e com excelentes resultados.

Laser da Próstata para HBP

O tratamento com laser é uma tecnologia recente e inovadora com resultados muito positivos, no tratamento dos doentes com Hiperplasia Benigna da Próstata.

Rezum e Outras Técnicas para HBP

Este novo tratamento permite tratar a HBP de uma forma mais eficaz e menos agressiva do que as outras técnicas minimamente invasivas.

Cirurgia Clássica Aberta para HBP

A cirurgia clássica aberta, também designada de prostatectomia aberta, é uma técnica cirúrgica que envolve a remoção do tecido hiperplásico aumentado de volume.

Cirurgia Endoscópica para HBP

O objectivo da intervenção passa por remover a parte da próstata que está aumentada, por via endoscópica.

Cirurgia Laparoscópica para HBP

A cirurgia envolve a remoção da parte interna da próstata que está a provocar a obstrução e as queixas urinárias.

Terapêutica Médica para HBP

A terapêutica médica inclui a utilização de fármacos, bem como a adopção de medidas para aliviar as queixas de Hiperplasia Benigna da Próstata.

Video Hiperplasia Benigna Prostata 2
O Dr. José Santos Dias apresenta um resumo sobre toda a informação sobre a HBP.

Prognóstico da Hiperplasia Benigna da Próstata

A HBP é uma doença benigna que pode em alguns casos provocar consequências muito graves, como insuficiência renal ou infecções graves que, se não tratadas, podem provocar insuficiência renal, sépsis (uro-sépsis) e mesmo a morte. 

Mesmo sem estas consequências tão devastadoras, a HBP pode provocar um conjunto de sintomas que perturbam significativamente a qualidade de vida dos homens afectados.

Se não tratada ou mesmo em tratamento com medicamentos, ocorre geralmente:

  • Um agravamento progressivo das queixas com a idade;
  • Um risco crescente de hemorragia;
  • Um risco crescente de retenção urinária aguda ("urina presa");
  • Um também progressivo risco de necessidade de cirurgia.

Após a cirurgia, ocorre geralmente uma franca e significativa melhoria das queixas. A necessidade de novos tratamentos é muito reduzida, sendo a taxa de reintervenção de cerca de 1 a 2% ao ano.

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Perguntas Frequentes sobre Hiperplasia Benigna da Próstata

O que é a Hiperplasia Benigna da Próstata (HBP)?

icon down

Quais são as causas da Hiperplasia Benigna da Próstata?

icon down

Como se diagnostica a Hiperplasia Benigna da Próstata?

icon down

Quais são as consequências da Hiperplasia Benigna da Próstata?

icon down

A HBP aumenta a possibilidade de ter Cancro da Próstata?

icon down
Referências

Pedido de Marcação de Consulta