Tratar as Consequências do Cancro da Próstata e dos seus Tratamentos

Muitas das técnicas de tratamento do cancro da próstata localizado têm efeitos secundários ou consequências nefastas para os doentes que sofrem desta doença. Muitos doentes desenvolvem queixas de Disfunção Eréctil (“impotência sexual”), Incontinência Urinária (perda de urina), Estenoses (apertos) da uretra ou da anastomose vesico-uretral (ou seja, a união entre a bexiga e a uretra), em consequência das formas de tratamento do cancro localizado (como a cirurgia, a Braquiterapia ou a Radioterapia Externa).

Também o tratamento das formas avançadas do cancro da próstata pode provocar consequências indesejáveis, como Disfunção Eréctil (“impotência”), diminuição do desejo (líbido), Osteoporose (desmineralização ou “perda de cálcio” nos ossos), fraqueza, anemia, quebra do estado geral. O tratamento destes efeitos secundários não deve ser esquecido e deve ser efectuado de acordo com as formas de tratamento habituais para cada uma destas entidades.

O Apoio Psicológico aos doentes com Cancro da Próstata

Todos os doentes com cancro sofrem uma agressão marcada sob o ponto de vista psicológico, por inúmeros factores: pelo confronto com a notícia, pelo repensar e alteração de estratégias e planos de vida que a doença implica, pela violência da doença e/ou dos seus tratamentos, pelas suas consequências físicas por vezes devastadoras, pela alteração de qualidade e hábitos de vida consequentes, entre outros. Os doentes com cancro da próstata não são excepção a esta “regra”. Estas consequências são muitas vezes agravadas, por exemplo pelo facto dos doentes serem confrontados com este diagnóstico em idades cada vez mais jovens, ou, noutros casos, pelo facto da doença surgir numa altura de reforma em que, finalmente, os doentes se propunham “disfrutar a vida” após anos de trabalho e de luta por melhores condições de vida. Em qualquer situação, o choque da notícia e as consequências da doença e do processo de tratamento que se segue a esta, “abala” toda uma estrutura individual, familiar, social.

Estes doentes necessitam, por isso, de um acompanhamento especializado sob o ponto de vista psicológico, para poderem recuperar das alterações de vida consequentes a esta doença, de modo a“reunir”, a mobilizar, as forças individuais e os recursos familiares indispensáveis à luta contra a doença, de modo a retomar a normalidade possível do decurso da sua vida.

No Instituto da Próstata e Incontinência Urinária, os doentes com doenças malignas do foro urológico e, especificamente, aqueles que sofrem com cancro da próstata, dispõem de um conjunto vasto de estratégias e recursos de apoio com este fim. Dispomos de Especialista em Psiquiatria e Psicólogos com formação específica nesta área, de modo a podermos prestar todo o apoio, integrado, de que estes doentes geralmente necessitam para lidar com a doença e ultrapassar as suas consequências.