Seguimento (“Follow-up”) e Vigilância dos doentes com Cancro da Próstata

O seguimento dos doentes com cancro da próstata é realizado, tipicamente, de 3 em 3 meses durante o primeiro ano, isto depois da habitual primeira consulta após a cirurgia, braquiterapia, final da radioterapia ou início da terapêutica hormonal, que é geralmente efectuada no primeiro mês após o tratamento. A partir do segundo ano, se a situação clínica o permitir, o prazo das consultas pode ser alargado para de 6/6 meses, até ao quinto ano. Daí em diante (a partir do 5º ano, portanto) os doentes deverão ser avaliados, no mínimo e se a situação estiver estável, uma vez por ano. Exceptuam-se os doentes com uma situação clínica não totalmente estabilizada e aqueles que estão a realizar terapêutica hormonal, que deverão ser avaliados, pelo menos, uma vez a cada 6 meses.

O follow-up/seguimento é realizado com doseamento do PSA e toque rectal. Outros exames poderão estar indicados, de uma forma individualizada, em função dos achados ou das particularidades de cada doente, detectadas pelo médico Urologista.

O elemento fundamental para o follow-up é o PSA. Após uma prostatectomia radical deverá descer para valores < 0,1 ng/ml; após radioterapia ou sob hormonoterapia, os valores de PSA devem descer para níveis < 0,2 a 0,5 ng/ml.

Níveis crescentes de PSA (geralmente consideram-se 3 subidas consecutivas de PSA) podem indicar recidiva bioquímica, com possível recorrência da doença.