O Diagnóstico Precoce e o Rastreio do Cancro da Próstata

O DIAGNÓSTICO PRECOCE DO CANCRO DA PRÓSTATA

O objectivo do diagnóstico precoce consiste na identificação dos doentes com cancro da próstata clinicamente significativo, numa fase precoce da doença, isto é, num momento em que o tratamento será potencialmente eficaz e curativo.

Como regra oncológica geral, pode afirmar-se que quanto mais precoce for o diagnóstico em princípio melhor serão os resultados do tratamento e o prognóstico da doença. Esta afirmação foi confirmada pelos resultados de um estudo recente, já de 2009 (European Randomised Study of Screening for Prostate Cancer), que envolveu a avaliação de 160.000 homens e demonstrou que ocorreu uma diminuição de cerca de 20% na mortalidade por cancro da próstata no grupo de indivíduos sujeitos a rastreio (screening), em comparação com o grupo não sujeito a rastreio.

Dada a elevada frequência deste tumor, era classicamente recomendada a realização de uma avaliação anual – inclundo toque rectal e PSA (Prostate Specific Antigen) – a partir dos 50 anos, excepto se existisse uma história familiar da doença (se afectasse familiares em primeiro grau, como pai ou irmão, mas também se tivesse sido diagnosticado num avô ou tio) sobretudo com tumores detectados em familiares em idades jovens; neste caso, recomendava-se que esta avaliação se iniciasse aos 45 anos. Nos “guidelines” da Associação Europeia de Urologia (EAU, European Association of Urology) ainda são estas as idades recomendadas.

No entanto, nos novos “guidelines” para o cancro da próstata da AUA (Associação Americana de Urologia), de Maio de 2009, já se recomenda que todos os homens deverão realizar a primeira avaliação do PSA ainda mais cedo, aos 40 anos.

Os Urologistas do Instituto da Próstata e Incontinência Urinária são profissionais habituados a realizar a mais correcta e completa avaliação da próstata, de modo a permitir uma avaliação segura e fiável, de modo a garantir a exclusão ou o diagnóstico precoce de doenças graves deste orgão.

RASTREIO DO CANCRO DA PRÓSTATA

Este termo aplica-se às avaliações em massa da população, ou seja, uma avaliação “indiscriminada” de um determinado grupo de indivíduos. Por vezes é utilizado erradamente como sinónimo de diagnóstico precoce, ou seja, a realização de uma avaliação voluntária por iniciativa dos doentes (muitas vezes designada por “check-up”, por analogia com outras situações de avaliação de rotina, preventiva). Enquanto esta última é recomendada, segundo os últimos guidelines da Associação Americana de Urologia, a partir dos 40 (anteriormente, a partir dos 50 anos ou dos 45 se existisse história familiar de cancro da próstata), persistem dúvidas em relação à realização de rastreios (“screening”) em massa, de todos os indivíduos de uma determinada população.

Dada a importância deste tema, inúmeros trabalhos têm sido realizados no sentido de tentar esclarecer estas dúvidas. Muito recentemente, já em 2009, foram publicados numa das melhores revistas médicas mundiais os resultados de um importante estudo, designado por ERSPC (de European Randomised Study of Screening for Prostate Cancer), em que foram avaliados 160.000 homens.

Este estudo demonstrou claramente um benefício do rastreio, uma vez que, no grupo de indivíduos sujeitos a rastreio (screening), ocorreu uma diminuição de pelo menos 20% na mortalidade por cancro da próstata em comparação com o grupo não sujeito a rastreio. Os indicadores actuais parecem, assim, justificar a realização, por rotina, de rastreio de cancro da próstata em indivíduos do sexo masculino em idade de risco.

A idade recomendada para a avaliação inicial da próstata é portanto, e actualmente, de 40 anos, sendo esta a idade indicada pela Associação Americana de Urologia para a primeira avaliação deste orgão.

Os Urologistas do Instituto da Próstata e Incontinência Urinária são profissionais habituados a realizar a mais correcta e completa avaliação da próstata, de modo a permitir uma avaliação segura e fiável, de modo a garantir a exclusão ou o diagnóstico precoce de doenças graves deste orgão.