O Diagnóstico do Cancro da Próstata

Como em qualquer outra doença, é fundamental avaliar o doente na sua globalidade. Assim, o exame objectivo geral faz parte da avaliação dos doentes com problemas da próstata e, especificamente, com suspeita de cancro da próstata. Um exame mais dirigido, focalizado na área urológica, deve seguir-se a este exame geral. A avaliação abdominal, o despiste da existência de um “globo vesical” (bexiga cronicamente “cheia”, em replecção), da existência de alterações genitais sugestivas de cirurgias prévias ou estenoses da uretra, por exemplo, o despiste da existência de hérnias inguinais, alterações como a presença de adenopatias (“gânglios”) ou como dor óssea à palpação vertebral, o exame neurológico mais focalizado na área genital e perineal, todos estes elementos devem fazer parte da avaliação de um doente do foro urológico, nomeadamente com suspeita de doenças da próstata. O toque rectal é um exame particular e que por isso merece uma referência especial .

  1. O TOQUE RECTAL
  2. O PSA
  3. O PSA LIVRE. RELAÇÃO ENTRE O PSA LIVRE E O PSA TOTAL
  4. O PSA AJUSTADO À IDADE (PSA EM FUNÇÃO DA IDADE)
  5. DENSIDADE DE PSA
  6. VELOCIDADE DE PSA
  7. PSA DA ZONA DE TRANSIÇÃO
  8. O PCA3
  9. ECOGRAFIA DA PRÓSTATA
  10. BIÓPSIA PROSTÁTICA TRANS-RECTAL
  11. RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NUCLEAR
  12. CINTIGRAFIA ÓSSEA
  13. TAC
  14. PET E PET-CT