Braquiterapia

Sendo uma das terapêuticas possíveis – e actualmente mais utilizadas – para o tratamento do cancro da próstata localizado, apresenta as mesmas indicações que as restantes terapêuticas para esta fase/estádio da doença. No entanto, apresenta inúmeras vantagens, como a elevada eficácia (superior à Radioterapia Externa, como demonstra um estudo recente), a menor taxa de efeitos secundários (como o risco de incontinência e problemas de erecção, que são frequentes após a cirurgia radical por cancro da próstata), o menor tempo de anestesia e de internamento (o doente tem habitualmente alta no dia seguinte à intervenção). O tempo em que se fica com a algália é de apenas algumas horas (geralmente inferior a 24 horas), ao contrário da cirurgia, em que é necessário manter a algaliação durante alguns dias e o regresso à actividade normal do dia a dia é igualmente muito mais rápida.

Apresenta algumas limitações práticas para a sua realização. Em princípio, está limitada a próstatas de volume inferior a 50cc, embora mesmo em casos de volumes superiores se possa efectuar um tratamento hormonal prévio à braquiterapia, para reduzir o volume do orgão e assim permitir a realização desta técnica. Existem outros critérios de inclusão/exclusão, que devem ser respeitados. Diferentes autores preconizam diferentes critérios para a realização desta técnica, sendo uns critérios mais restritivos do que outros.

Critérios de inclusão universalmente aceites (critérios “ideais” para esta técnica):

  • Gleason ≤ 6
  • PSA ≤ 10ng/ml
  • Volume prostático ≤ 50cc
  • Fluxo máximo (Qmáx) > 11ml/seg (o Qmáx é parâmetro mais importante obtido na urofluxometria)

Estas são as características ideais para se realizar uma braquiterapia. No entanto, como as vantagens desta técnica são apreciáveis, é possível (e frequente) tratar doentes que não possuem todas aquelas características. Por exemplo, tratam-se casos de doentes com PSA superiores a 10 ou com tumores cuja classificação de Gleason pode ser de 7. Há, assim, critérios mais abrangentes, menos restritivos, que podem ser considerados como uma incicação relativa, mas cujos resultados são igualmente muito bons.

Doentes com volumes prostáticos superiores a 50cc poderão, em alguns casos, ser submetidos a terapêutica anti-androgénica transitória, para redução do volume da glândula. Esta terapêutica anti-androgénica prévia à braquiterapia (que é uma forma de radioterapia) poderá até melhorar os resultados, tal como acontece com a terapêutica anti-androgénica realizada previamente à radioterapia externa (designada por neo-adjuvante). Doentes com sintomas importantes do aparelho urinário inferior, sobretudo sintomas de esvaziamento (“obstrutivos”) marcados, não são os candidatos ideais, porque as queixas podem agravar-se após o tratamento, existindo igualmente um risco superior de retenção urinária.

Esta técnica consiste na inserção de “implantes” (“sementes”) radioactivas no interior da próstata, sob controlo ecográfico e com monitorização em tempo real. O controlo do número e posição das sementes a utilizar é feito através de sistema computorizado extremamente sofisticado, com um elaborado software específico. A realização desta técnica implica, assim, uma equipa multidisciplinar que inclui, além do Urologista, um Radioterapeuta e um Físico, cuja acção conjunta, complementar e extremamente diferenciada, permite obter os bons resultados descritos para esta técnica.

A Braquiterapia prostática é efectuada com um controlo em tempo real através de ecografia trans-rectal, com um mecanismo especial de suporte da sonda ecográfica e um “template” especial para a inserção controlada das agulhas.

Visualizam-se as agulhas inseridas por via perineal, com controlo preciso por ecografia e utilizando o referido “template”. Obtém-se uma imagem tridimensional com visualização da posição das “sementes”.

Outras modalidades terapêuticas :

  1. Cirurgia, designada por Prostatectomia Radical, que pode ser realizada da forma clássica (cirurgia “aberta”) ou por via laparoscópica
  2. Crioterapia
  3. Radioterapia Externa